Bolsa de Valores

Como investir na bolsa de valores

“Tenho alguns posts que podem ajudar a aprender a negociar no mercado de ações e ganhar dinheiro. O ideal é fazer um investimento em um curso sobre a bolsa de valores e como aplicar na bolsa de valores ou mesmo ficar um tempo em um simulador da bolsa antes de um passo mais comprometido. Em todo o caso, os artigos a seguir podem ajudar.”

Como investir na bolsa de valores passo a passo

Postado por Alessandro Martins em - Tudo sobre Bolsa de Valores

Eu já escrevi um post sobre como investir na bolsa de valores antes.

Mas, agora, quero escrever um mais sintético e rápido, para que você entenda facilmente como é simples começar a investir na bolsa passo a passo.

Eu poderia dizer que é simples: 1. abra uma conta numa corretora. 2. compre ações.

Mas isso é tão ridículo e óbvio quando desinformativo.

Prefiro incluir nos passos detalhes que não necessariamente têm a ver com o investimento em si, mas que considero fundamentais antes de iniciar aplicações mais agressivas.

Também vou partir do pressuposto de que quem está lendo começa com dívidas e não tem dinheiro guardado. Se não é o seu caso, ignore os primeiros passos e vá ao que interessa.

Sugiro que clique nos links que incluí para obter mais detalhes do que estou falando.

Provavelmente, algumas coisas vão parecer grego, mas não se preocupe que, aos poucos, com muita leitura, muitos vídeos, tudo vai ficar claro. É… se você pensa que vai investir na bolsa sem aprender um monte de coisas novas, é melhor desistir agora. Você vai evitar de perder muito dinheiro.

1. Elimine, controle ou reduza suas dívidas

Se você não está no controle de seu dinheiro, saiba que dificilmente você vai superar na bolsa de valores os juros do cheque especial ou do cartão de crédito.

A não ser que você seja um gênio.

Mas, se fosse um gênio das finanças, não estaria com dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito. Negocie suas dívidas.

2. Controle suas finanças

Para conseguir se organizar financeiramente, sugiro que baixe para seu celular um aplicativo de controle financeiro.

Eu uso dois simultaneamente.

O GuiaBolso se conecta automaticamente com minha conta bancária e sempre que eu uso o cartão de débito ou de crédito ele atualiza. Às vezes demora um pouco, mas sempre rola.

Ele também classifica o gasto em categorias automaticamente que, às vezes, você precisa revisar, para ficar bem a par sobre para onde está indo seu dinheiro.

Ao mesmo tempo, eu utilizo o Financisto. Porque tenho contas que o GuiaBolso não cobre, como investimentos em Títulos Públicos e a conta na corretora.

Com isso, eu sei exatamente, em tempo real, quanta grana eu tenho e quanto ainda posso gastar no mês.

Uma grande vantagem de se controlar de perto os gastos é poder, de vez em quando, fazer uma extravagância financeira sem que esse prazer seja estragado pela dúvida ou pela culpa de não se saber se você podia ou não exagerar um pouquinho nos gastos. 

3. Guardar dinheiro

Agora você não tem mais dívidas fora de controle, apenas aquelas planejadas, supostamente a prestação do carro ou da habitação.

Com sorte, nem essas.

Se for organizado, conseguirá guardar 20% daquilo que ganha por mês. Idealmente, 30%. Encare essa economia como uma dívida que você precisa pagar para seu eu futuro.

Se você ganha R$ 3 mil por mês e guardar R$ 500, em 20 meses terá R$ 10 mil, sem contar os juros.

Com 10 mil, já pode começar a investir na bolsa de valores.

4. Você não vai investir todas as suas economias na bolsa de valores

Calma. Agora que você está com seus R$ 10 mil, não coloque todo esse seu suado dinheiro na bolsa.

Você pode começar na bolsa de valores com pouco dinheiro. Até com meros R$ 350. Mas isso ainda é muito pouco.

Mas colocar todas as suas economias em renda variável vai fazer você se arrepender, vai mexer demais com seu emocional e pôr tudo a perder.

De fato, você pode perder tudo. Tudo o que, no nosso exemplo, você levou 20 meses de privações para juntar.

Vamos colocar 20% desse valor, por exemplo. O equivalente a R$ 2 mil.

Mas vale a pena começar com tão pouco? Calma, já vamos responder a essa pergunta.

5. Agora você precisa abrir uma conta em uma corretora da bolsa de valores

Nesta nova fase, abri minha conta na XP Investimentos. Só precisei preencher uma ficha online e pronto. Em alguns casos você precisará enviar algumas cópias de documentos pelo correio, mas nem disso precisei.

Só isso.

Daí é só transferir os valores da sua conta no banco para sua conta na corretora (via TED ou DOC). Importante que as duas contas estejam vinculadas ao mesmo CPF.

6. Agora é só começar a operar

Calma! Já deve ser a terceira ou quarta vez que uso esta palavra aqui. Mas uma das principais coisas que você deve aprender para começar a investir na bolsa de valores é deixar as emoções de fora.

Ainda não comece a operar!

Você precisa estar ciente dos riscos envolvidos.

Também não é uma boa ideia comprar ações de uma empresa só porque você gostou da logo ou porque seu cunhado trabalha nela.

Neste momento, explique sua situação para o agente autônomo de investimento encarregado de sua conta.

Ele é um profissional capaz de orientá-lo e que tem todo o interesse que se envolva positivamente com a bolsa de valores. Se você ganha, ele ganha.

Se você ainda não sabe nada sobre bolsa de valores, provavelmente ele vai indicar para você um fundo de ações ou um clube de investimentos ou até mesmo alguma outra opção de renda fixa muito mais vantajosa que a caderneta de poupança.

Enquanto seu dinheiro está lá (no lucro ou no prejuízo, lembre-se: trata-se de renda variável), você aprende mais sobre a bolsa de valores.

7. Aprender a investir na bolsa de valores

Agora você já está com dinheiro em uma corretora de valores e já está molhando as canelas no oceano dos investimentos de renda variável. Está se habituando a jargões e a situações novas.

Antes de tomar seus investimentos em suas mãos, terá que saber quais os critérios e análises podem ser usados na hora de decidir que ativos comprar e vender e quando sair das operações.

Provavelmente, tem muita coisa que agora você não sabe. Por exemplo, dá pra ganhar dinheiro mesmo com a bolsa em queda.

Você vai descobrir que existe a análise fundamentalista (que analisa os fundamentos da empresa que emitiu as ações) e a análise técnica, também conhecida como análise gráfica (que analisa os gráficos, ignorando fundamentos).

Uma coisa que você vai ver é que as duas, contrariando o senso comum, ignoram as notícias econômicas (as notícias sempre chegam atrasadas em relação aos preços das ações e não são estatisticamente quantificáveis).

Como eu tenho interesse em operar em prazos mais curtos, me interesso pela análise técnica. Para isso, tenho encontrado apoio na Equipe Trader (que neste momento é parceira da XP Investimentos).

Aqui mesmo já compartilhei dezenas de vídeos deles. Um bom começo pra você é a playlist Como Iniciar na Bolsa de Valores.

8. Agora sim! Comece a investir na bolsa de valores!

Depois de todo esse processo, você já estará mais seguro.

Acima de tudo terá aprendido que a bolsa de valores não é uma casa de apostas, não é jogo de azar.

Terá aprendido também mecanismos para não ser tomado por emoções como o medo e a ganância, que podem prejudicar – e muito – o seu investimento.

O mais famoso deles é o stop (que encerra a operação quando você já perdeu além do previsto ou quando já ganhou o suficiente).

Também terá aprendido estratégias e situações que fazem com que você compre ou venda um ativo quando determinadas condições objetivas forem atendidas. Isto é: quando fica assim, de determinada maneira, eu inicio uma operação e, se não ficar assim, não inicio uma operação de jeito nenhum.

Você também verá que existem diferentes tempos operacionais. Tem gente que entra em operações e sai em menos de cinco minutos delas. Tem gente que entra e e sai em pouco mais de meia hora. Ou que levam uma operação de um dia para o outro. Ou que fica semanas com ações compradas. Ou meses. Ou anos.

A essa altura terá escolhido o seu tempo operacional.

9. Todas as possibilidades

Você verá também que não existem só ações na bolsa de valores.

Existem opções (cuidado com essas), contratos e minicontratos e outras possibilidades.

Sem falar nas escolhas de renda fixa que, numa corretora, apresentam taxas bem mais atrativas que as dos bancos.

10. Conclusão

Se eu fosse resumir todo o processo, eu diri que os passos mais importantes são:

  1. Juntar dinheiro de fato. Isto é, eliminar dívidas e ter um controle de seu dinheiro. De nada adianta ganhar 2% ao mês na bolsa (se você for bom logo no começo, coisa que não deve acontecer) e perder 12% ao mês em um empréstimo
  2. Aprender sobre a bolsa de valores e renda variável em geral: como tomar decisões, riscos envolvidos e seu gerenciamento, técnicas, estratégias

Eu negritei riscos e seu gerenciamento. Não foi a toa. Se você não souber fazer isso antes de começar a investir, vai tomar uma boa invertida.

Dizer que, para começar a investir na bolsa de valores é preciso abrir uma conta em uma corretora é tão óbvio que, a essa altura, chega a ser ridículo.

Sua educação financeira é muito mais importante.

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Voltando a investir na bolsa de valores

Postado por Alessandro Martins em - Tudo sobre Bolsa de Valores

Estou voltando a investir na bolsa de valores.

Eu parei no final de 2008, logo depois da crise do subprime.

Como muitos que se iniciaram na bolsa em 2006 e 2007, no final de uma longa euforia de alta, eu me assustei bastante.

É comum que muitos iniciantes entrem na bolsa no final dos períodos de alta e levem tombos.

Felizmente, eu tinha investido uma parcela muito pequena de minhas economias. Mas o susto foi o suficiente. E olha que eu não cheguei a perder R$ 1.000.

Aquilo me fez perceber que a bolsa de valores não era o mar de rosas que me haviam pintado.

Desde então, eu estou só observando. Aprendendo. Num ritmo bem prudente.

Agora, depois de ler muito, assistir a muitos vídeos e analisar bem os riscos, estou voltando.

O que estou fazendo na bolsa de valores

Disponibilizei R$ 2 mil para aprender a investir no day trade, particularmente em minicontratos.

Neste momento estou só nos minicontratos futuros do Ibovespa.

É um investimento que, por ser alavancado, é arriscado.

O que significa isso? Você não precisa ter o valor integral do contrato, mas apenas uma parte desse valor que é depositada como margem de garantia.

Você só precisa, nos valores de hoje, uns R$ 400 para comprar ou vender um contrato. Um valor bem abaixo do que realmente vale um contrato ou mesmo um minicontrato.

Na proporção que, na posição que você assumiu, comprada ou vendida, for levando lucro ou prejuízo, essa margem vai sendo debitada, podendo chegar a 0 (zero).

No minicontrato de dólar, 1 ponto equivale a R$ 10. Caso você tenha comprado um minicontrato de dólar a 3890,00 e tenha vendido a 3890,50, você ganhou meio ponto. Ou seja R$ 5, pois cada ponto equivale a R$ 10.

No minicontrato de índice, 1 ponto equivale a R$ 0,20. Se você comprou um minicontrato de índice a 40.000 pontos e ele cair para 38 mil pontos em algum momento, é isso: você perdeu seus R$ 400. Perdeu tudo (isso sem falar no custo da compra e da venda do contrato; cada ordem custa em média R$ 1 por contrato negociado).

Ichimoku kinko hyo: coisa de japonês

Dito isso, considerando a alavancagem e a volatilidade do mercado de futuros, ter um bom gerenciamento de risco é até pouco.

Eu sei o máximo que aceito perder em um dia, o máximo que aceito perder em uma operação e, para mim, isso é inegociável.

Mas é preciso ter uma boa estratégia.

Para isso, estou contando com a ajuda da empresa educacional Equipe Trader e com a assessoria de seus agentes autônomos de investimento.

Pra começar, com ajuda deles e com o material por eles disponibilizado, estou começando a aprender a usar o ichimoku kinko hyo, um método de leitura de tendência inventado no Japão na década de 30.

Sim, é uma metodologia de análise técnica, ou grafista: a partir dos gráficos, médias de preço e candles, você consegue estimar estatisticamente o momento certo de comprar, vender e sair da operação.

Em breve também farei o curso com o professor Eduardo Matsura, a maior autoridade brasileira na leitura desse sistema.

Robôs de investimento: eles fazem tudo e você só assiste

Outra coisa com a qual estou me familiarizando: robôs de investimento.

Você programa o robô e ele faz as entradas (comprado ou vendido) e as saídas da operação.

Se você deixar ele operando na nuvem, isto é, num computador remoto que você pode usar gratuitamente na Amazon durante um ano, não precisa nem desligar e ligar sua máquina.

Claro, não basta apenas botar seu robô para funcionar. É preciso programar um setup com parâmetros de qualidade.

Você pode fazer isso sozinho, como seus conhecimentos de análise técnica e testar a estratégia em minutos, com ajuda dos dados de pregões anteriores.

No meu caso, estou contando com a ajuda do Joel Farináceo, da Equipe Trader, que envia semanalmente setups otimizados.

Nem sempre o robô fará operações vencedoras. O mais importante é que, quando ele vier a perder (isto é, quando o stop da operação for acionado), ele perca pouco e, quando ganhar, ganhe bastante.

No caso, estou usando um robô que utiliza o ichimoku kinko hyo.

Vamos então voltando, vamos devagar, vamos com calma e aprendendo. Desta vez com mais recursos e mais apoio.

E, claro, o Iniciante na Bolsa está de volta!

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

O que é a margem de garantia do minicontrato de dólar

Postado por Alessandro Martins em - Outros investimentos Tudo sobre Bolsa de Valores

Quando você entra em uma operação de compra ou venda no mercado futuro, a Bolsa de Valores pedirá uma margem de garantia.
Mas o que é essa margem de garantia, para que serve e como funciona?

A margem de garantia é uma quantia em dinheiro depositada pelas partes envolvidas em uma operação com contrato futuro com o objetivo de garantir o cumprimento desse contrato.

Mas não confunda a margem de garantia com o preço que você irá pagar pelo contrato. São duas coisas diferentes.

A margem de garantia é o valor que as partes depositam de maneira a garantir o negócio.

A margem de garantia fica depositada enquanto o investidor mantém sua posição. Depois de encerrar a operação, a margem é devolvida em dinheiro ou em títulos.

Embora a Bolsa de Valores e demais investimentos nada tenham a ver com jogos de azar ou adivinhações, uma boa maneira de entender isso é imaginar uma aposta em que todas as partes, antes de realizar a disputa, colocam na mesa os valores que estarão em jogo. Isso garante que, no final, a parte ganhadora receberá e a parte perdedora pagará.

Se você tem aplicações em CDB, ações ou títulos públicos pode usá-los como garantia.

Se seu dinheiro está em títulos de renda fixa como esses – que não trazem grandes riscos -, você pode operar contrato futuro de dólar, seja em operações de Day Trade ou de posição.

As corretoras têm uma política bastante agressiva quanto ao valor da margem. Com a Equipe Trader, o minicontrato de dólar é operado com uma margem de R$ 450. Mas esse valor muda com a volatilidade do mercado. Em dias de grande volatilidade, a própria Bolsa vai exigir um valor maior de garantia. Opere com a Equipe Trader, clique aqui.

Para entender esses conceitos e outros você pode participar diariamente do Estudo de Mercado da Equipe Trader, sempre às 17h, e também do programa Vamos Falar de Investimentos, exibido todas as terças e quintas-feiras, às 18h30. É só acessar equipetrader.com.br/aovivo. Também se inscreva em nosso canal no Youtube e fique por dentro do que acontece no mercado. Envie também suas dúvidas para atendimento@equipetrader.com.br

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Minicontrato Futuro de Dólar: conheça a pontuação

Postado por Alessandro Martins em - Outros investimentos

O minicontrato futuro de dólar é um ativo que tem apresentado muita liquidez no mercado.

Muitos investidores estão começando a operar e, assim, começam a surgir diversas dúvidas sobre o tema.

Uma das principais é sobre quanto se perde ou ganha por ponto no sistema de pontuação dos contratos de dólar.

A cotação do contrato futuro do dólar é em Reais e expressa quanto equivalem mil dólares.

Por exemplo: se a cotação do contrato futuro do dólar é 3.890,00, significa que eu preciso de R$ 3.890 reais para comprar US$ 1.000; ou que US$ 1.000 equivalem a R$ 3.890,  tanto faz.

O ganho ou prejuízo é de 10 reais por ponto. Um ponto equivale a 1 décimo de centavo.

Para facilitar o entendimento: as placas que indicam o preço do combustível nos postos apresentam até 3 números depois da vírgula. Algo como gasolina a R$ 3,399.

Aquele nove depois da casa dos centavos equivale a 9 décimos de centavos.

Então cada décimo de centavo do contrato de dólar lhe da 10 reais de ganho ou prejuízo.

Caso você tenha comprado um minicontrato de dólar a 3890,00 e tenha vendido a 3890,50, você ganhou meio ponto. Ou seja R$ 5, pois cada ponto equivale a R$ 10.

Aliás, esse é tick do dólar: meio ponto ou o menor passo que ele dá. Ou seja, ele caminha de meio em meio ponto. O tick das ações é de 1 centavo, ou seja a variação mínima é de 1 centavo.

Outro exemplo: um minicontrato de dólar a 3.890,00, que seria equivalente a 3,89 centavos. Ele foi vendido a 3.900,00, que seria equivalente a 3,90. Para o dolar sair de R$ 3,89 e ir para 3,90, ele subiu 1 centavo, então ganhei 10 décimos de centavo. Isso é igual a 10 pontos. Como se ganha 10 reais por ponto, o ganho dessa operação seria de R$ 100 reais.

Porém se tivesse comprado 3 contratos, o ganho seria multiplicado por 3.

3 pontos importantes para resumir.

1.ganha-se ou perde-se 10 reais a cada décimo de centavo,
2.lembre do exemplo da placa de preço do posto de gasolina para entender o décimo de centavo
3. A cotação do contrato de dólar é exatamente o valor de 1.000 dólares convertidos em reais.

Você vai precisar de uma boa corretora para operar, pois pequenas oscilações podem gerar grandes lucros. Um centavo operando apenas 1 minicontrato lhe traz ganho de 100 reais. Porém o contrário também é válido, ou seja, qualquer queda de sistema por exemplo, pode lhe causar grandes prejuízos. Por isso acesse nosso site e se cadastre para investir através da corretora que a Equipe Trader opera.

Em breve lançaremos um curso rápido sobre o minicontrato de dólar falando de todas as suas características e dando dicas pra quem quer começar a operar. Para acessar basta se cadastrar em nossa página clicando aqui.

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Um robô para suas operações na bolsa de valores

Postado por Alessandro Martins em - Vídeos sobre bolsa de valores

A Equipe Trader acaba de lançar um robô para operar na Bolsa de Valores de acordo com parâmetros definidos por você. Tudo automatizado.

A ideia é muito interessante sobretudo se você quer menos envolvimento emocional na sua tomada de decisões e precisa de uma ferramenta sempre atenta aos gatilhos que fazem disparar uma compra e uma venda.

Confira no vídeo acima e acesse o robô Columbus.

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Novo rumo da nossa parceira Equipe Trader

Postado por Alessandro Martins em - Notícias sobre a Bolsa de Valores

A Equipe Trader já é há alguns anos parceira forte deste blog.

Atualmente, a empresa, voltada para educação de investimentos na bolsa de valores, está adotando um novo rumo em seus serviços e focos de negócio.

Confira:

Renda Fixa: Considerado pelos próprios investidores o melhor portfólio do mercado, a renda fixa que a Equipe Trader/XP oferece, contem rentabilidade a prova de fogo, com rentabilidade muito acima da poupança.

Renda variável: Garanta o acesso às melhores plataformas de negociação do mundo com a assessoria da Equipe Trader. Esqueça que um dia existiu o Home Broker. Você virá se encantar com a plataforma Meta Trader.

Assessoria Equipe Trader: Cliente Equipe Trader passa a contar com um time de assessores especializados em todos os produtos que do mercado. Assim você pode alocar o seu patrimônio da maneira mais rentável, otimizando seus resultados e lucros.

 

 

 

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Mais artigos

Page 1 of 8312345...102030...Last »