Investindo em Títulos da Dívida Pública 3: os primeiros passos

Este artigo faz parte da série Investindo em Títulos da Dívida Pública.

Leia também:

Segundo o site do Tesouro Direto, para investir em Títulos Públicos você precisa preencher os seguintes requisitos:

Podem investir no Tesouro Direto todos os residentes no Brasil que possuam Cadastro de Pessoa Física (CPF) e estejam cadastrados em alguma das Instituições Financeiras habilitadas a operar no Tesouro Direto.

Vejamos:

  • Residir no Brasil… fácil.
  • Ter CPF… fácil.
  • Cadastrar-se em uma instituição financeira habilitada a operar no Tesouro Direto… hmm… isso merece uma explicação.

Que instituições são essas? Bancos e corretoras. De repente, você já é correntista de uma e não sabe.

É recomendável que você escolha uma instituição cuja a taxa de administração seja menor que 0,5% para que no final – somadas a taxa de administração, mais taxa de custódia, mais imposto de renda -, você obtenha um custo vantajoso.

Como eu fiz para investir em Títulos Públicos

Eu procurei na lista que linkei acima e descobri que tanto a Caixa Econômica Federal, em que sou correntista, como a Planner, corretora através da qual invisto na Bolsa de Valores, são credenciadas.

Fui até o gerente de minha conta, o competente e organizado Ideraldo, na Caixa, e ele me explicou tudo.

A compra é feita em uma página específica do site do Tesouro Direto. Se você é curioso e clicou no link, vai notar que ali há um espaço para preencher com seu CPF e com uma senha. Mas que diabo de senha é essa?

É uma senha que você ganha, enviada por email pelo Tesouro Direto, assim que seu gerente – ou o encarregado disso na instituição financeira – fizer o seu cadastro no programa. Ao entrar no site, você precisa mudar essa primeira senha e, pronto, você já pode começar a comprar os títulos que lhe interessam. Mas, calma. Não faça nada ainda, que eu não acabei de explicar.

No caso da Caixa, eu precisei abrir uma conta de investimento, vinculada à minha conta corrente. Possivelmente, seu banco tenha um procedimento diferente. Depois disso, sempre que eu comprar títulos através da Caixa, os valores são debitados dessa conta de investimento.

O passo seguinte foi ligar para a Planner e dizer que eu queria investir uma parte do dinheiro da minha conta com eles no Tesouro Direto. Como meu CPF já estava cadastrado, no dia seguinte, a opção de investir através da Planner apareceu no site.

Nas próximas partes desta série eu falarei sobre títulos pré e pós-fixados e suas outras subdivisões, as vantagens e características de cada tipo de título e prazos, bem como se dá o processo de compra e venda desse tipo de investimento. Não perca.

Avaliação média: 4.57
Total de Votos: 76

Investindo em Títulos da Dívida Pública 3: os primeiros passos

13 respostas para “Investindo em Títulos da Dívida Pública 3: os primeiros passos”

  1. Vini Lazev disse:

    Não entendi uma coisa, tu abriu conta na Caixa E na Planner só para testar as duas? Pois dá pra fazer tudo só pela Caixa. Acho que isso pode confundir um pouco.

  2. Alessandro Martins disse:

    Não, Vini.

    Eu tinha conta nas duas já. Eu tinha dinheiros que queria investir em títulos nas duas contas. Para não ficar transferindo, habilitei as duas contas. Você pode investir no tesouro direto com o mesmo CPF através de diversos agentes diferentes. No caso, eu não precisei transferir o dinheiro que estava na Planner para a Caixa afim de investir. Investi direto através da Planner.

    Não sei se agora ficou claro…

    Abraços!

  3. André Santos disse:

    Ótimos artigos Alessandro. A algum tempo escrevi um artigo sobre títulos da dívida publica, se não tiver problema, ai vai o link:
    http://www.investidoriniciante.com.br/2008/06/conheca-o-tesouro-direto/

  4. Alessandro Martins disse:

    André,

    no próximo artigo da série indicarei o seu texto.

    Abraços do Alessandro.

  5. Leonardo disse:

    Já estou cadastrado e habilitado no Tesouro Direto.
    Meu Agente de Custódia é a Caixa Economica Federal, onde ja tenho uma Conta Investimento.

    Minha dúvida é:
    Antes de efetivar a compra, basta eu disponibilizar o dinheiro na Conta Investimento?

    Basta eu transferir de minha Conta Corrente para a Conta Investimento ou devo, no caixa eletrônico, acessar a Conta Investimento e efetuar alguma operação específica para que o Tesouro receba o dinheiro do pagamento?

  6. Alessandro Martins disse:

    Leonardo,

    primeiro esteja certo de que o dinheiro está na conta de investimento. Depois, de posse de seu CPF e de seu código para entrar no site de compra do Tesouro Direto, compre lá mesmo os títulos que você escolheu. Você usará o seu computador para isso. Não sei se o Caixa Eletronico da CEF oferece essa opção.

    Abraços.

  7. Fernando disse:

    Alessandro, de forma mais direta, para um iniciante investir 10.000,00 reais qual o melhor caminho hoje? (passo a passo)
    Consultei a lista de agente e vi que 3 deles não cobram taxas, são seguros? O que eles ganham com isso?

    Abraços.

  8. Eberson disse:

    Queria saber como investir em titulos do publicos?

  9. Charles disse:

    Primeiramente parabéns pela presteza das informações contidas no site. Minha dúvida, como todo bom iniciante as têm, embora tenha entendido boa parte das informações aqui postadas, é quais títulos direto devo investir tendo disponível para isso cota mensal entre R$ 1.ooo,oo e R$1.500,00 durante 1 e 2 anos?

  10. andrea disse:

    gosTARIA DE SABER SE APOLICE DO SECULO PASSADO PODEM SER VENDIDAS PARA O BANCO

  11. lincoln disse:

    É mais rentável comprar acões de empresas que dão bons dividendos. Não me pergunte oq é dividendo , pesquise no google.

  12. Kleberson disse:

    Para cumprir uma cláusula contratual, posso adquirir titulos da divida publica. Podemos fazer essa aplicação para empresas?

  13. maria antonia disse:

    eu quero emvestir quero saber o preço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *