Bolsa de Valores

O que são opções

Postado por Alessandro Martins em - Tudo sobre Bolsa de Valores

Recentemente um leitor perguntou-me se seria uma boa comprar opções, estes fascinantes derivativos.

Como tudo na bolsa, se você souber o que está fazendo, claro que pode ser. O problema é que em se tratando de opções mesmo gente que se considera experiente acaba fazendo cag…, digo, acaba errando feio.

Antes de mais nada, você precisa saber o que é uma opção.

Segundo o dicionário da Bovespa:

Instrumento financeiro que confere a seu titular o direito de comprar ou vender um ativo-objeto a um preço determinado. Para o lançador da opção, ao direito do titular se opõe uma obrigação futura, caso esse direito seja exercido pelo titular.

Não entendi nada!!!!

Simplificando.

Uma opção de venda é o direito de vender determinada ação a determinado preço em determinada data.

Uma opção de compra é o direito de comprar determinada ação a determinado preço em determinada data.

A data: atualmente é a terceira segunda-feira de todo mês.

Ao adquirir uma opcão você adquire um direito. Como direito, você pode exercê-la ou não. Esse direito tem data de validade.

No entanto, quem criou esse direito – o lançador – tem obrigação de cumpri-lo. Tem a obrigação de comprar caso tenha lançado opções de venda e obrigação de vender caso tenha lançado opções de compra.

Isso se quem comprou o direito queira realmente exercê-lo.

Mas por que eu não exerceria um direito?

Digamos que você tenha comprado 100 VALEG42 (G é a sétima letra, equivalente ao sétimo mês do ano e 42 é o preço (R$ 42) a que você tem direito a comprar a ação VALE5 na terceira segunda-feira do sétimo mês do ano).

Eis que chega o dia 21 de julho de 2008. E a VALE5 está cotada a R$ 40.

Por que diabo você exerceria o direito de comprar a VALE5 a R$ 42 se pode comprá-la a R$ 40?

Quando as mer…, digo, os erros acontecem

Os erros acontecem quando você não sabe o que está fazendo. Até mesmo atravessar a rua pode ser perigoso em um caso desses.

Uma pessoa inexperiente pode ficar imediatamente seduzida pelo mercado de opções ao ver o gráfico de uma.

Valorizações em um dia de 100%, 200%… quando a Petrobras descobriu aquela reserva enorme relatou-se valorizações de 1400%. Em alguns casos, mais. Imagine: às 10h você investe R$ 10 mil e, às 13h você tem R$ 150 mil.

A questão é a seguinte:

  • A flutuação do preço de uma opção também é grande para baixo
  • Quanto mais perto da data do vencimento (lembra da terceira segunda-feira do mês?) e mais longe do preço de exercício estiver a opção (abaixo do preço de exercício, no caso da opção de compra), menores são as chances de ela voltar a se valorizar

E, finalmente, quando chega o dia do exercício, e a opção de compra continua acima do preço de mercado da ação a que ela corresponde, ela passa a valer nada. Como dizem na gíria, virou pó.

Assim, os seus R$ 10 mil economizados desde os 12 anos de idade transformaram-se em nada.

Quanto costuma valer uma opção

Isto que eu vou dizer agora não é exato – depende de fatores como o tempo que falta para o vencimento, a distância para o preço de exercício, se o preço de mercado está acima ou abaixo desse preço e se a tendência é de queda ou de alta.

Mas se o preço de mercado da ação a que ela corresponde está acima do preço de exercício, o preço da opção tende a ser a diferença entre esses dois valores.

Isso explica muita coisa.

Por que opções flutuam tanto?

Mantendo o exemplo acima, digamos que você realmente tenha comprado 100 VALEG42 hoje. Hipoteticamente, hoje a VALE5 estava R$ 43 (isto é só um exemplo). É possível então que você tenha pago algo como R$ 1 por opção (R$ 43 menos R$ 42, que é o preço de exercício da VALEG42). Em determinado momento do dia, a VALE5 passou a valer R$ 44. Automaticamente as suas 100 opções passaram a valer R$ 2 (R$ 44 menos R$ 42, que é o preço de exercício da VALEG42) cada uma. Você tinha R$ 100 nos derivativos e, num passe de mágica, passou a ter R$ 200 caso venda nesse instante estas opções. Uma valorização de 100%.

Quero lembrar que esse é um exemplo didático bem grosso modo, mas acho que já dá para dar uma idéia de como a coisa funciona.

Mais uma vez: é importante saber que os preços das opções também têm esse tipo de flutuação para baixo.

E nunca é demais lembrar: quando você investe em ações – principalmente em blue chips – você tem possibilidades mínimas de “perder tudo na bolsa”.

Mas em opções essa possibilidade de perder tudo é efetiva.

Em artigos futuros, em breve, falarei de maneiras mais seguras de usar as opções para proteger os seus investimentos.

Se você quer ir em frente antes que eu comece a falar sobre o tema mais profundamente, indico os seguintes artigos do Como Comprar Meias:

Artigos Relacionados

Gostou? Comente, compartilhe e participe.