Bolsa de Valores

Violinada: o preço por ser disciplinado na Bolsa de Valores

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Este artigo é de autoria do articulista convidado Osney José Cola, fundador da Equipe Trader, empresa especializada em formar investidores na Bolsa de Valores com cursos online e em DVD. Operador Profissional de Mercado desde 2007, ele é reconhecido pelo sucesso em trades efetuados através da Análise Técnica, utilizando-se das mais variadas ferramentas de análise do comportamento dos preços nesse mercado. Conheça também o canal do YouTube da Equipe Trader.

Os famosos jargões que escutamos no mercado da bolsa de valores por muitas vezes nos deixam curiosos em saber seus significados, à medida que adquirimos conhecimento através de blogs, sites, vídeo, etc. Normalmente sempre ficam algumas palavras utilizadas pelos analistas, grafistas, operadores que nos deixam pensativos, como por exemplo: “Hoje tomei uma violinada do mercado.”

Mais do que um simples prejuízo, as violinadas nos provocam um abalo psicológico gigantesco, pois é fato que as pessoas têm mais medo de ficar de fora da alta do mercado do que perder dinheiro e a violinada é exatamente isso, compramos um ativo, colocamos um stop loss (ou seja se começar cair saímos da operação com um pequeno prejuízo) e o ativo cai; vai justamente acionar nosso stop, nos tirando da operação e depois volta a subir como um foguete, nos deixando com o prejuízo, e fora da alta.

Isso nos provoca certo arrependimento de ter colocado o stop, pois essa ferramenta me tirou da festa que estava por vir e me trouxe prejuízos, é muito provável que o Iniciante na Bolsa não tome mais essa atitude prudente de calcular seus riscos e saber o tamanho dele, deixando de utilizar essa preciosa ferramenta.

Veja no vídeo uma violinada que tomei semana passada. Nem só de bons trades vive o homem. Bons negócios!

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

As 3 fases da tendência primária de alta, segundo Eduardo Matsura

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Estou lendo Comprar ou Vender?, de Eduardo Matsura e, a certa altura, ele também fala sobre as três fases das tendências – sobre as quais já falei por aqui.

Para este post, destaco as três fases para a tendência primária:

No caso da tendência de alta, Dow identificou as seguintes fases:

  • Acumulaçao
  • Alta sensível
  • Euforia

No início da tendência, a maioria tem opinião contrária e apenas uma pequena minoria começa a se posicionar. São investidores que possuem alguma informação privilegiada e que, portanto, justifica esse posicionamento.

A fase seguinte, Alta Sensível, é a fase que pode ser confirmada tecnicamente. Segundo Dow, é nesta fase que o investidor deve entrar no mercado.

A última fase, a Euforia, é quando a informação é totalmente pública e os leigos no assunto resolvem entrar no mercado. É a hora em que os profissionais começam a se desfazer lentamente de suas posições, realizando os lucros obtidos até então. Uma característica dessa fase final é a súbita popularização do mercado.

Ahn… bem… vocês já viram algo parecido?

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

A fórmula mágica para ganhar dinheiro na bolsa de valores

Postado por Osney Cola em - Análise técnica da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Os métodos utilizados e as diversas técnicas desenvolvidas têm ganhado espaço devido à curiosidade das pessoas em relação ao momento exato da compra ou da venda. Todos querem acertar exatamente o fundo e o topo, comprar na mínima e vender na máxima dos movimentos.

Os traders mais experientes da bolsa de valores não buscam comprar na mínima e vender na máxima, isso não é nosso objetivo, pois para termos operações estruturadas e validadas pelos métodos, indicadores e osciladores necessitamos de sinais.

Os sinais dados pelos indicadores, osciladores e preços não vêm do além, nem por acaso. Visualizamos estes no próprio movimento do mercado, se acreditamos que o mercado está próximo de um movimento de alta (fundo), o “grande sinal” será após o início do movimento de alta, o preço subindo movimentará os indicadores e osciladores e para aqueles que preferem analisar os preços apenas, também terão o sinal através do próprio início do movimento de alta.

Nesse momento, perdemos a chance de comprar a mínima desse movimento, pois o preço já se movimentou para gerar o sinal.

Portanto comprar mínimas e vender máximas são sonhos um tanto quanto difíceis de serem alcançados. Precisamos nos concentrar para a administração das operações, tanto para aquelas que não estão dando certo, quanto para aquelas que estão se movimentando para o nosso objetivo.

Deixar de operar como amador e operar como um profissional está muito mais ligado às questões práticas que teóricas. Raciocinar de forma lógica quando há dinheiro em jogo se torna algo terrível.

Conheça uma forma de lidar com suas emoções para se tornar um trader profissional.

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Fundos de Investimento. Vale a pena?

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Este post é de responsabilidade e autoria do articulista convidado Rennella Cristian

Para começar, brevemente definimos o significado de Fundo de Investimento: um fundo de investimento é uma forma de aplicação financeira, formada pela união de vários investidores que se juntam para a realização de um investimento com objetivo de retorno esperado ou dividendo.

Será que vale a pena deixar o dinheiro na poupança? Ou será que vale mais colocar em fundos de investimento de renda fixa?

Exemplo atual Marco 2012 Fundos de Investimento “Curto Prazo (Risco Muito Baixo):

Mas precisa fazer um dever de casa para escolher o melhor fundo para você. Dá trabalho. A boa notícia é que hoje já é possível fazer pesquisas pela internet.

Existem fundos conservadores e fundos mais agressivos com diferentes graus de risco definidos de acordo com seu objetivo.

A alternativa é pesquisar muito, negociar e, se for preciso, mudar de gestor, o que vai dar trabalho, mas poderá fazer toda a diferença entre um ganho real, ou seja, acima da inflação e uma perda nas suas aplicações.

Uma das principais vantagens de se investir em fundos é a comodidade para o investidor, que prefere deixar sob os cuidados de especialistas a gestão de seus recursos.

A rentabilidade de cada fundo é determinada pela estratégia de investimento adotada pelo gestor, que deve respeitar as características definidas no seu estatuto.

Quais as principais vantagens dos Fundos de Investimento?

1) Acesso a modalidades de investimento que, pelo volume de recursos envolvidos, não estariam ao alcance de investidores individuais, especialmente os de menor capacidade financeira, aumentando, assim, a quantidade de alternativas de investimento disponíveis.

2) Não é necessário ser um especialista no mercado financeiro para investor. Gestão dos recursos feita por especialistas.

3)A formação de uma carteira diversificada de ações e outros ativos requer um volume de recursos que, na maioria das vezes, é superior às disponibilidades do pequeno investidor.

4) Não requer muito dinheiro para começar a investir. Transparência nas informações;

5) Você escolhe em qual estratégia quer investir.

6) Diluição, entre os participantes, dos custos de administração da carteira que, normalmente, não são acessíveis aos investidores individualmente.

7) Porque tem liquidez diária. As cotas de um fundo de investimento podem ser resgatadas a qualquer momento. Vale ressaltar que os prazos de aplicação e resgates variam dependendo do fundo.

8) Assegurar ao investidor a comodidade de ter os seus investimentos administrados profissionalmente, sem que ele tenha que dominar a utilização de sofisticado instrumental de análise e acessar diferentes fontes de informação, requeridas para a administração profissional de uma carteira de investimentos.
Tendo em conta que para um Fundo de Investimento, temos que pagar Imposto de renda, Imposto sobre Operações Financeiras – IOF e Taxa de Administração?

Conclusão Sucinta: Depende principalmente da taxa de administração e do tempo de investimento. Mas é claro que também depende da rentabilidade média do fundo de investimento durante todo o periodo e fundos de investimento com baixa taxa de administração, ganham da poupança a longo prazo. E ambos os investimentos são seguros.

Eng. Rennella Cristian. Co-Founder oMelhorTrato.com. Especializou-se em desenvolvimento empreendedor Online Latino-Americano.

Aprenda mais sobre bolsa de valores

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Sardinha ou tubarão? Mais bichos estranhos na fauna da bolsa…

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Sardinhas e tubarões. São os peixes que se movimentam nas águas turbulentas da bolsa.

Costuma-se dizer que os tubarões são os que provocam tal turbulência, mexendo os mares para lá e para cá, de acordo com sua vontade. Na verdade, não é bem assim. Não totalmente.

E que os sardinhas são aqueles que acabam tendo sua navegação atrapalhada por essa movimentação, como barquinhos de papel. Eventualmente são devorados sem dó nem piedade ou atirados para fora da água, na melhor das hipóteses.

Tubarões seriam os grandes operadores, corretoras representantes de grandes investidores e afins – com suas movimentações de milhões por dia – e, sardinhas, gente como eu e você.

No entando há quem diga, com certa razão, que simplesmente se colocar como “sardinha” – praticamente uma presa – e ver os grandes operadores como predadores é um posicionamento assaz derrotista.

  • O mito dos tubarões e das sardinhas: “No entanto, nas grandes empresas que lidam com vultuosos investimentos temos profissionais que, por talentosos que sejam (e esse talento tem a ver com frieza, não com informações privilegiadas), estão quase tão sujeitos a erros quanto nós, “meros mortais”.
  • Não há mal algum em ser “sardinha”: “Uma “sardinha” cuidadosa, disciplinada e observadora sabe a hora certa de sair nadando mar afora. Sabe, também, onde se escondem os “tubarões”, seus hábitos e rotas preferidas.”
  • Mas, prendendo-se aos tubarões do mercado financeiro, não há o quê discutir. Os “animais” são realmente superdotados de poderes “especiais”. Estão sempre na frente digerindo as futuras notícias e desovando quando as mesmas aparecem. Alguém acha que os tubarões íam esperar sair o decantado IG para posicionar-se em grandes empresas ?

Na impossibilidade de ser um peixe grande – provavelmente esse é o seu caso (assimo como o meu) -, não seja sardinha.

Seja rêmora:

Rêmora ou rémora é o nome vulgar dos peixes da família Echeneidae, que possuem a barbatana dorsal transformada numa ventosa, com a qual se fixam a outros animais como tubarões ou tartarugas, podendo assim viajar grandes distâncias.

Eita, peixinho esperto.

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

A regra dos 2% e a regra dos 6%: proteção contra os tubarões e contra as piranhas do mercado

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Este artigo é de autoria do articulista convidado André Neves, sócio-fundador da EnsinaInvest, empresaaespecializada em educação financeiraaà distancia e em serviços de conteúdo educativo para o mercado de ações (http://www.ensinainvest.com/). É agente autônomo de investimentos, analistaae consultor de valores mobiliários credenciado pela CVM e um dos poucos analistasatécnicos que possui o Certificado Nacional do Profissional de Investimentos – Analista Técnico (CNPI-T) da APIMEC. Conheça também o Canal da EnsinaInvest no YouTube (http://www.youtube.com/ensinainvest).

No post anterior já explicamos os objetivos da gestão do dinheiro, qual a diferença entre risco e perda e como limitar o risco das operações na bolsa de valores, evitando tanto a alavancagem quanto o excesso de operações, e como utilizar a diversificação a nosso favor.

Uma boa gestão do dinheiro exige muita disciplina e conhecimento de estratégias de entrada e saída dos ativos. Ou seja, você precisa saber de antemão o que fazer caso tudo dê certo e o que fazer caso tudo dê errado.

Nesse vídeo explico como utilizar as duas regras fundamentais da gestão do dinheiro: a regra dos 2% e a regra dos 6%. Além disso, compartilhamos três dicas sobre o que você deve fazer, caso tudo dê errado com suas operações. Bons investimentos!

Gostou? Comente, compartilhe e participe!

Mais artigos

Page 40 of 83« First...102030...3839404142...506070...Last »