Bolsa de Valores

Entenda o Mercado de Opções 7: ganhando dinheiro com opções

Postado por Alessandro Martins em - Tudo sobre Bolsa de Valores

Este artigo faz parte da série Entenda o Mercado Opções. A série é de autoria do convidado Elvis Pfützenreuter. Ele é editor do blog #d00dzFinance e autor do livro Investindo no Mercado de Opções. Ele também oferece uma calculadora de opções Black e Scholes online, que calcula toda uma série de opções de uma vez só.

Leia também:

Em primeiro lugar, o investidor/especulador em opções tem de saber apreciar perfeitamente o seu valor, para julgar se determinada opção está “cara” ou “barata”, e vender ou comprar de acordo. Para isso, feliz ou infelizmente, é necessário um pouco de background de matemática.

Há inúmeros livros no mercado que tratam da avaliação de opções, como o Investindo no Mercado de Opções, de minha autoria, que há especial atenção aos aspectos matemáticos e estatísticos das opções.

Uma observação empírica, que vale para praticamente todos os mercados de opções, é que os lançadores de opções ganham mais dinheiro no longo prazo que os compradores de opções. Isto contradiz a teoria de que o mercado de opções é soma-zero. Existem diversas hipóteses para explicar esta distorção.

Devemos lembrar ainda que, no caso das opções de compra, a taxa de juros é embolsada pelo lançador. Se um lançador obtém rendimento de 2% ao mês, 1% disso é devido à taxa de juros, e não constitui negação da soma-zero. Assim, aquele que pretende ganhar dinheiro com opções deve estar atento a este fato, e provavelmente deve fazer operações que mais lancem do que comprem opções.

Explicar todas as possíveis operações com opções é assunto para vários livros, mas a operação mais simples que um investidor pode fazer, e que costuma trazer bons resultados, é o lançamento coberto de opções. O objetivo é obter um rendimento mensal, pequeno porém contínuo, com a arrecadação dos prêmios das opções de compra.

Por exemplo, se o investidor possui 100 ações VALE5, ele pode lançar 100 opções de compra, dando suas VALE5 em garantia, e aguarda o vencimento. Se as opções virarem pó, ele pode lançar novamente opções da série seguinte. Se as opções foram exercidas, sua carteira virou dinheiro líquido, e é preciso comprar novamente as VALE5 para fazer novo lançamento coberto.

A principal vantagem desta operação é a comodidade. Como não há depósito de margem, não há risco de quebrar por falta de dinheiro para cobrir a margem. Seja qual for o desfecho da operação no vencimento, o investidor não precisa tomar nenhuma providência junto ao corretor, nem precisa ficar monitorando o mercado.

O investidor mais especulativo que gosta de acompanhar o mercado pode recomprar as opções se elas estiverem baratas, desobrigando-se totalmente, e quiçá lançar novamente as opções quando o prêmio tiver subido novamente.

Também é possível fazer lançamento coberto de opções de venda, porém neste caso o lançador é quem arca com o custo da taxa de juros, o que não pode ser negligenciado pois as taxas de juros no Brasil são muito altas.

É prudente lembrar que a venda coberta é um bom negócio hoje, mas pode deixar de ser um bom negócio amanhã. Por isso é importante saber avaliar o valor real das opções e não ficar fazendo sempre a mesma operação mecanicamente. Se o prêmio de uma opção estiver baixo, pode ser mais negócio comprar a opção ao invés de lançá-la.

Também é importante comparar o potencial de lucro com a renda fixa, a cada operação. Uma operação cujo retorno máximo seja de 1,2% ao mês parece boa, mas deixa de ser tão boa se comparada à renda fixa que paga 1% sem risco algum.

Elvis Pfützenreuter é mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina e graduado em Ciências Contábeis pela Universidade da Região de Joinville. É pesquisador e professor na área de informática. Trabalha no desenvolvimento de sistemas financeiros desde 1993 e investe no mercado financeiro desde 1997.

Artigos Relacionados

Gostou? Comente, compartilhe e participe.