Bolsa de Valores

Como investir na bolsa de valores passo a passo

Postado por Alessandro Martins em - Tudo sobre Bolsa de Valores

Eu já escrevi um post sobre como investir na bolsa de valores antes.

Mas, agora, quero escrever um mais sintético e rápido, para que você entenda facilmente como é simples começar a investir na bolsa passo a passo.

Eu poderia dizer que é simples: 1. abra uma conta numa corretora. 2. compre ações.

Mas isso é tão ridículo e óbvio quando desinformativo.

Prefiro incluir nos passos detalhes que não necessariamente têm a ver com o investimento em si, mas que considero fundamentais antes de iniciar aplicações mais agressivas.

Também vou partir do pressuposto de que quem está lendo começa com dívidas e não tem dinheiro guardado. Se não é o seu caso, ignore os primeiros passos e vá ao que interessa.

Sugiro que clique nos links que incluí para obter mais detalhes do que estou falando.

Provavelmente, algumas coisas vão parecer grego, mas não se preocupe que, aos poucos, com muita leitura, muitos vídeos, tudo vai ficar claro. É… se você pensa que vai investir na bolsa sem aprender um monte de coisas novas, é melhor desistir agora. Você vai evitar de perder muito dinheiro.

1. Elimine, controle ou reduza suas dívidas

Se você não está no controle de seu dinheiro, saiba que dificilmente você vai superar na bolsa de valores os juros do cheque especial ou do cartão de crédito.

A não ser que você seja um gênio.

Mas, se fosse um gênio das finanças, não estaria com dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito. Negocie suas dívidas.

2. Controle suas finanças

Para conseguir se organizar financeiramente, sugiro que baixe para seu celular um aplicativo de controle financeiro.

Eu uso dois simultaneamente.

O GuiaBolso se conecta automaticamente com minha conta bancária e sempre que eu uso o cartão de débito ou de crédito ele atualiza. Às vezes demora um pouco, mas sempre rola.

Ele também classifica o gasto em categorias automaticamente que, às vezes, você precisa revisar, para ficar bem a par sobre para onde está indo seu dinheiro.

Ao mesmo tempo, eu utilizo o Financisto. Porque tenho contas que o GuiaBolso não cobre, como investimentos em Títulos Públicos e a conta na corretora.

Com isso, eu sei exatamente, em tempo real, quanta grana eu tenho e quanto ainda posso gastar no mês.

Uma grande vantagem de se controlar de perto os gastos é poder, de vez em quando, fazer uma extravagância financeira sem que esse prazer seja estragado pela dúvida ou pela culpa de não se saber se você podia ou não exagerar um pouquinho nos gastos. 

3. Guardar dinheiro

Agora você não tem mais dívidas fora de controle, apenas aquelas planejadas, supostamente a prestação do carro ou da habitação.

Com sorte, nem essas.

Se for organizado, conseguirá guardar 20% daquilo que ganha por mês. Idealmente, 30%. Encare essa economia como uma dívida que você precisa pagar para seu eu futuro.

Se você ganha R$ 3 mil por mês e guardar R$ 500, em 20 meses terá R$ 10 mil, sem contar os juros.

Com 10 mil, já pode começar a investir na bolsa de valores.

4. Você não vai investir todas as suas economias na bolsa de valores

Calma. Agora que você está com seus R$ 10 mil, não coloque todo esse seu suado dinheiro na bolsa.

Você pode começar na bolsa de valores com pouco dinheiro. Até com meros R$ 350. Mas isso ainda é muito pouco.

Mas colocar todas as suas economias em renda variável vai fazer você se arrepender, vai mexer demais com seu emocional e pôr tudo a perder.

De fato, você pode perder tudo. Tudo o que, no nosso exemplo, você levou 20 meses de privações para juntar.

Vamos colocar 20% desse valor, por exemplo. O equivalente a R$ 2 mil.

Mas vale a pena começar com tão pouco? Calma, já vamos responder a essa pergunta.

5. Agora você precisa abrir uma conta em uma corretora da bolsa de valores

Nesta nova fase, abri minha conta na XP Investimentos. Só precisei preencher uma ficha online e pronto. Em alguns casos você precisará enviar algumas cópias de documentos pelo correio, mas nem disso precisei.

Só isso.

Daí é só transferir os valores da sua conta no banco para sua conta na corretora (via TED ou DOC). Importante que as duas contas estejam vinculadas ao mesmo CPF.

6. Agora é só começar a operar

Calma! Já deve ser a terceira ou quarta vez que uso esta palavra aqui. Mas uma das principais coisas que você deve aprender para começar a investir na bolsa de valores é deixar as emoções de fora.

Ainda não comece a operar!

Você precisa estar ciente dos riscos envolvidos.

Também não é uma boa ideia comprar ações de uma empresa só porque você gostou da logo ou porque seu cunhado trabalha nela.

Neste momento, explique sua situação para o agente autônomo de investimento encarregado de sua conta.

Ele é um profissional capaz de orientá-lo e que tem todo o interesse que se envolva positivamente com a bolsa de valores. Se você ganha, ele ganha.

Se você ainda não sabe nada sobre bolsa de valores, provavelmente ele vai indicar para você um fundo de ações ou um clube de investimentos ou até mesmo alguma outra opção de renda fixa muito mais vantajosa que a caderneta de poupança.

Enquanto seu dinheiro está lá (no lucro ou no prejuízo, lembre-se: trata-se de renda variável), você aprende mais sobre a bolsa de valores.

7. Aprender a investir na bolsa de valores

Agora você já está com dinheiro em uma corretora de valores e já está molhando as canelas no oceano dos investimentos de renda variável. Está se habituando a jargões e a situações novas.

Antes de tomar seus investimentos em suas mãos, terá que saber quais os critérios e análises podem ser usados na hora de decidir que ativos comprar e vender e quando sair das operações.

Provavelmente, tem muita coisa que agora você não sabe. Por exemplo, dá pra ganhar dinheiro mesmo com a bolsa em queda.

Você vai descobrir que existe a análise fundamentalista (que analisa os fundamentos da empresa que emitiu as ações) e a análise técnica, também conhecida como análise gráfica (que analisa os gráficos, ignorando fundamentos).

Uma coisa que você vai ver é que as duas, contrariando o senso comum, ignoram as notícias econômicas (as notícias sempre chegam atrasadas em relação aos preços das ações e não são estatisticamente quantificáveis).

Como eu tenho interesse em operar em prazos mais curtos, me interesso pela análise técnica. Para isso, tenho encontrado apoio na Equipe Trader (que neste momento é parceira da XP Investimentos).

Aqui mesmo já compartilhei dezenas de vídeos deles. Um bom começo pra você é a playlist Como Iniciar na Bolsa de Valores.

8. Agora sim! Comece a investir na bolsa de valores!

Depois de todo esse processo, você já estará mais seguro.

Acima de tudo terá aprendido que a bolsa de valores não é uma casa de apostas, não é jogo de azar.

Terá aprendido também mecanismos para não ser tomado por emoções como o medo e a ganância, que podem prejudicar – e muito – o seu investimento.

O mais famoso deles é o stop (que encerra a operação quando você já perdeu além do previsto ou quando já ganhou o suficiente).

Também terá aprendido estratégias e situações que fazem com que você compre ou venda um ativo quando determinadas condições objetivas forem atendidas. Isto é: quando fica assim, de determinada maneira, eu inicio uma operação e, se não ficar assim, não inicio uma operação de jeito nenhum.

Você também verá que existem diferentes tempos operacionais. Tem gente que entra em operações e sai em menos de cinco minutos delas. Tem gente que entra e e sai em pouco mais de meia hora. Ou que levam uma operação de um dia para o outro. Ou que fica semanas com ações compradas. Ou meses. Ou anos.

A essa altura terá escolhido o seu tempo operacional.

9. Todas as possibilidades

Você verá também que não existem só ações na bolsa de valores.

Existem opções (cuidado com essas), contratos e minicontratos e outras possibilidades.

Sem falar nas escolhas de renda fixa que, numa corretora, apresentam taxas bem mais atrativas que as dos bancos.

10. Conclusão

Se eu fosse resumir todo o processo, eu diri que os passos mais importantes são:

  1. Juntar dinheiro de fato. Isto é, eliminar dívidas e ter um controle de seu dinheiro. De nada adianta ganhar 2% ao mês na bolsa (se você for bom logo no começo, coisa que não deve acontecer) e perder 12% ao mês em um empréstimo
  2. Aprender sobre a bolsa de valores e renda variável em geral: como tomar decisões, riscos envolvidos e seu gerenciamento, técnicas, estratégias

Eu negritei riscos e seu gerenciamento. Não foi a toa. Se você não souber fazer isso antes de começar a investir, vai tomar uma boa invertida.

Dizer que, para começar a investir na bolsa de valores é preciso abrir uma conta em uma corretora é tão óbvio que, a essa altura, chega a ser ridículo.

Sua educação financeira é muito mais importante.

Artigos Relacionados

Gostou? Comente, compartilhe e participe.