Bolsa de Valores

Como escolher uma corretora para investir na bolsa de valores

Postado por Alessandro Martins em - Dicas da bolsa de valores Tudo sobre Bolsa de Valores

Escolher a melhor corretora de investimento na Bolsa de Valores é a primeira decisão que você vai tomar depois de resolver entrar na bolsa de valores. É ela quem vai fazer o meio de campo entre você e a Bovespa. Você transmite a ordem de compra e venda e a empresa – mais especificamente seu corretor – executa. Por isso, essa escolha pode influenciar toda a sua experiência a seguir, a curto e a médio prazo.

Ela é membro da Bovespa?

Procure uma corretora entre as diversas que são membro da Bovespa. Se alguma empresa o procurar, verifique antes se ela faz parte da lista.

Qual o valor mínimo para se cadastrar?

Nem todas corretoras operam com valores baixos e certamente todas operam com valores altos. Mas, também certamente, com um pouco de pesquisa, você encontrará uma de qualidade perfeita para seu perfil.

Quais são os custos?

Cada corretora tem uma política de custos diferente. Procure uma que se adeque ao seu perfil. A que eu escolhi cobra 2% sobre a movimentação de venda de valores até R$ 498,62 e essa taxa cai até o limite de 0,5% na medida em que os valores se aproximam de R$ 3029.

Essas porcentagens são importantes, afinal se – no meu caso- eu tiver um lucro abaixo de 2% em algum momento, isso não é suficiente para que valha a pena eu vender as ações que os proporcionaram.

Um exemplo fictício:

Em determinado momento, algumas ações minhas no valor de R$ 100 subiram 2%. Agora eu tenho R$ 102. Se eu vendê-las, a corretora ficará com R$ 2,04.

Ei! Esse era o meu lucro!

Entendeu?

Fique atento, pois algumas corretoras abrem mão da porcentagem e mantém um valor fixo muito baixo que pode parecer vantajoso em um primeiro momento, mas cobram uma taxa mensal fixa, uma taxa de custódia das ações ou uma taxa de conta inativa – que para quem pretende investir a longo prazo é pouco vantajosa. O barato pode sair caro.

Qual a burocracia do cadastro em uma corretora?

É muito mais fácil e rápido que abrir uma conta em um banco (Porém, é claro que você já vai ter que ter uma conta em banco). Na verdade, é tão fácil que você vai se perguntar porque não fez isso antes e continua com juros de menos de 12% ao ano na Caderneta de Poupança e tendo que enfrentar fila.

Para executar esse passo eu precisei de:

  • Documento de identidade
  • CPF
  • Comprovante de endereço
  • Uma conta corrente.
  • Preenchimento de um cadastro.
  • Assinatura de contrato.

Você foi bem tratado?

Essa é óbvia até se você pretende comprar um liqüidificador. Se a loja não o trata bem você não volta mais. Se o corretor – a pessoa que estará em contato com você – não o tratar bem, esqueça.

Eu e minha namorada marcamos uma hora na corretora e tivemos uma reunião de aproximadamente 45 minutos com nosso corretor que pretendia esclarecer alguns pontos sobre a bolsa e nos conhecer melhor para saber quais os investimentos mais indicados para nosso perfil. Atendimento altamente personalizado, principalmente considerando que o montante inicial de nosso investimento não é alto.

Todas as vezes em que ligamos para ele, para tirar dúvidas ou para dar ordens de compra, foi muito atencioso e paciente apesar de nossa inexperiência.

Dias depois de preencher o cadastro, recebemos os contratos para assinar em casa acompanhado de um envelope selado para devolvê-lo, evitando assim um deslocamento desnecessário.

Conheça o básico sobre a bolsa de valores

Artigos Relacionados

Gostou? Comente, compartilhe e participe.